Oct 3, 2014

Barcelona - parte 2

Barcelona é realmente uma cidade incrível. Lá vem a deslumbrada, mas me apaixonei. Depois de uma viagem puxada, daquelas em que a gente literalmente senta e chora de exaustão em algum canto do aeroporto, fomos recebidos por um calor agradável e um taxista educado. Eu sei, nossos padrões mudam depois de algumas idas e vindas de NY, em que taxistas educados vira um plus para a cidade.

A escolha de ficar em um apartamento foi com certeza um dos melhores pontos da nossa viagem. Tivemos o luxo de estar super bem localizados, em um apartamento espaçoso, com varandinha para fazer bolhas de sabão, dois quartos e uma cozinha aconchegante. Podíamos deixar na geladeira uma manteiga gostosa para passar no pão, um leite gordo e nada UHT para colocar no café... E também estocar muita comida, tanto para nós quanto para o Dani. E não, eu não passei hoooooras na cozinha, os ingredientes eram incríveis e incorporei a praticidade das tapas, comprando pães frescos, algumas coisinhas que precisavam de pouco preparo e pronto.

Ali ao nosso lado, tínhamos um mercado super legal chamado [Mercat de La Concepció]. Imaginem barracas de frutas frescas, legumes e carnes, massa fresca com molho caseiro e burrata a alguns quarteirões de casa! (Parênteses aqui que sim, eu chamo de "casa" o local onde estou hospedada. Eu volto e vou pra casa, levo coisas pra casa e fico em casa, tá?) E, pra completar, o andar debaixo do mercado tinha um supermercado para aquelas coisas básicas como papel toalha, água e arroz. Eles até entregavam, mas para ninguém ter que ficar esperando pelo delivery, o Dani voltou a pé ou no colo e o carrinho dele virou um excelente meio de transporte de sacolas reutilizáveis cheias de coisas.

Mary's Market
Bem pertinho, no quarteirão ao lado de casa, tínhamos o [Mary's Market], um empório fofo, cheio de produtos maravilhosos e não uma, mas três opções de jamón! Foi de onde veio o sal, o azeite e todos os ingredientes do nosso primeiro dia. Sabe aquele dia de cão em que você chega fedendo avião? Sim, eu uso essa frase, eu sinto um cheiro exclusivo de avião em mim quando passo muito tempo dentro dele. Mas voltando, aquele primeiro dia em que você desempacota malas sem fim, sem ter dormido nas últimas 30 horas, e só quer comer alguma coisinha antes de dormir? Um simples pão crocante com jamón e muita água?

Boldú
Ali pertinho também descobrimos a [Boldú], uma padaria simpática, de onde compramos alguns pães e doughnuts maravilhosos. Eu também fui pega de surpresa por esses doughnuts, algo que não imaginei comer na Catalunya. Outro achado delicioso foi uma amêndoa coberta por uma camada de caramelo crocante, praliné e cacau em pó da [Colmado Quilez], uma mercearia cheia-cheia-cheia de coisas, vinhos, chocolates, biscoitos, de onde trouxe muito mais coisa do que devia e poderia de volta ao Brasil.

Outra descoberta foi um café bem comum por ali chamado Il Caffe di Francesco. E melhor ainda foi provar um tal de biberó, que na sua simplicidade se resume a um espresso com leite condensado. Nem me venham os cri-cris de plantão dizendo que café bom se toma puro, sem adoçar, tá? Café bom é o café bom pra gente, e o meu vem recheadinho de leite condensado!

E fala sério! Será que esta pessoa que lhes escreve não fez nada mais além de comer, visitar lugares de comida e ficar em casa comendo? Eu fiz sim, mas eu já disse antes aqui e repito: uma boa viagem para mim quer dizer pelo menos 60% do tempo gasto em boas experiências gastronômicas.

Então entre um mercado, restaurante e lanchinho, fomos visitar a Casa Battló, a Sagrada Família, Parc Guell... Com pausas para cafés, galettes e sorvetes deliciosos! Vamos combinar que as dicas turísticas qualquer um encontra em um guia de viagens. Mas a gente tem que contar que esbarrou com uma linguiça artesanal acompanhada de cerveja gelada, com um sorteve caseiro em uma ruazica de nada, e quem sabe mais gente vai poder lambuzar os dedos - próprios e dos filhos! - como nós fizemos!

No comments: