May 22, 2014

A super básica salada de frutas

Outro dia me chamaram para fazer um almoço-reunião. Dez pessoas, algo tranquilo, brasileiro e simples. Tem pra todos os gostos, e a gente tira da cartola um almoço com a cara que precisar. Às vezes é comida leve, outras chiquetosas, mas neste eu pensei numa comida de mãe mesmo.

Fomos numa salada brasileira com a combinação que tem em toda casa de alface, tomate, palmito e etc, um caldo de mandioquinha - com bacon crocante! - e um picadinho de carne na cerveja acompanhado de arroz e farofa de banana. Pra sobremesa, levei pudim! Simples e clássico, fiz em casa na véspera. E, já que tem sempre alguém com restrições, resolvi deixar uma salada de frutas como opção.

Achei curioso porque quem me ajudou ali na cozinha a preparar tudo comentou que não era comum ver salada de fruta. "É coisa que teria no almoço na casa da minha avó." E, puxa! Como ela pode ser versátil, saborosa, saudável e agradar a todos com um ar tão brasileiro.

Então lá vai essa salada que eu fiz rapidinho. Eu sempre achei que salada de frutas não tivesse segredo, mas descobri que muitos não conseguem fugir de algumas combinações ou não tem idéia da quantidade de ingredientes e as proporções. Acho que a única fruta que não coloco é melão, e não porque não gosto, mas porque toda salada de frutas insossa americana tem pedaços enormes daqueles melões laranja e verde... É trauma mesmo.

Salada de frutas

1 abacaxi descascado e picado
1 limão
2-3 maçãs picadas
Suco de 3 laranjas pêra
4-5 bananas picadas
1 cacho grande de uva sem sementes
1/2 mamão formosa maduro picado

Vai tudo picadinho, misturado, colorido! Mas a dica que consigo pensar é em relação a ordem dos ingredientes. 

1. Pique primeiro o abacaxi. É o mais trabalhoso! Tire a fibra do miolo (eu adoro comer essa parte, a mais doce do abacaxi! Mas se não quiser, descarte). Veja se a frutaria não vende já descascado, mas pergunte se é feito antes de você levar pra casa, é melhor aprender a descascar um espinhudo do que pegar um velho.

2. Corte o limão ao meio. Assim que descascar as maçãs, esfregue o limão na superfície, para que elas não escureçam. Esprema o suco do limão em cima do abacaxi e coloque as maçãs picadas, misturando bem. A acidez evita que, mesmo cortada, a maçã fique escura. Pode colocar o suco de laranja aí também.

3. As bananas foram cortadas em pedaços pequenos, mas poderia ser em meia-lua. Como era um almoço de negócios, eu não queria deixar nada muito grande e pedaçudo, pra ninguém abrir aquele bocão, né?

4. Se você não tem uma faça afiada para cortar as uvas ao meio, use uma de serra. Eu não curto uva inteira, acho um charme assim, cortadas ao meio, mas é um pouco trabalhoso cortar uma a uma.

5. Por fim, o mamão. A cada ingrediente, eu vou misturando tudo, e por isso acabo deixando o mais mole por último. 

Algumas ideias: poderíamos ter folhas de hortelã picadinhas, um creme de leite (ou chantilly), há quem goste de um licor na mistura ou até uma pimenta! Ui! Já vi até trocar a hortelã por manjericão ou alecrim (eu deixaria o alecrim de "molho" no suco de laranja, mastigar um pedaço dele não vai ser muito agradável). 

O principal é o equilíbrio. O abacaxi poderia ser substituído por morangos ou kiwis, fazendo a vez do azedinho. Framboesas poderiam entrar no final, com cuidado porque também são bem delicadas. Mirtilos dariam um colorido incrível ao conjunto! Carambolas fatiadas e estreladas também ficam lindas e gostosas, mas aí os pedaços seriam maiores, para não ficar tudo picadinho e aquela estrela gigante. E se você curte melão, vai em cubos também.

May 21, 2014

Mudanças e o suco verde

Quando as meninas da Dedo de Moça fizeram uma [dieta detox], láááá em 2011, eu pulei fora. Confesso que o principal motivo era que não ia passar os dias com sucos esquisitos, que levam ingredientes de salada.

Não mudei minha opinião. Continuo achando que a definição de dieta, aquela em que as pessoas eliminam grupos alimentares ou ingredientes, não é legal. Fora algumas coisas óbvias e deliciosas como batata frita, torresmo, brigadeiro, que a gente sabe que não são lá grande coisa nutricionalmente, acredito que a gente não deva se privar de nada. NADA mesmo. Eu como salsicha, e não me venha com o blábláblá, porque eu trabalhei em um frigorífico, sei como elas são feitas e como mesmo assim. Eu adoro batata frita, e a frita em banha de porco, duplamente peso na consciência, é uma das melhores lembranças que tenho de uma viagem. Eu como brigadeiro, paçoca, ovo de Páscoa, pão de queijo e o que mais tiver vontade.

Então não, eu não faria uma dieta com restrições de glúten, lácteos, carne vermelha por um tempo limitado acreditando que isso limparia meu organismo de qualquer outra substância ruim. Ok, se algum dia eu me descobrir celíaca, aí não tem jeito. É o fim do meu mundo, mas paciência. Não estou falando de doenças, estou falando que sou contra o "hoje acordei com vontade de seguir uma dieta assim e assado".

E eu até acho que as substâncias que meu próprio corpo iria produzir, ou deixar de produzir, graças ao bode federal pela restrição aos alimentos, seriam piores ainda. Eu quase tive diabetes gestacional, e foi o caos na Terra, terror do marido e distanciamento das amigas. Eu fiquei intragável, insuportável. Eu não me aguentava.

Maaaaas a vida muda a gente. E estou tentando incorporar o tal do suco-salada nos meus hábitos alimentares. Não acordei do dia pra noite assim. Não, foram dois anos com problemas de saúde e duas cirurgias que causaram a mudança. Eu cheguei a conclusão de que este tal suco, que leva couve, abacaxi, limão, hortelã e linhaça, se tomado pela manhã, garantiria algumas das minhas necessidades básicas de nutrientes diários. E que - claro que não dou ponto sem nó - garantir isso logo cedo, pela manhã, me libera da culpa de um hamburger ou hotdog no jantar. Tcharam! Viu como não tem nada de tão saudável assim? É só um plano!

Piadas a parte, com a rotina do Dani, da minha casa, dos meus trabalhos, eu cheguei a conclusão de que eu posso garantir um café da manhã tranquilo e equilibrado, mas que eu não consigo fazer o mesmo sobre as minhas outras refeições. E, por causa disso, comecei há uma semana a tomar o tal suco verde. Mas vamos ser práticas: eu fiz 7 porções e congelei para a semana.

COMO ASSIM? Eu congelando coisas? Eu que defendo os legumes frescos, que já dei mil explicações das moléculas de água explodindo com o congelamento e destruindo vitaminas, que já falei sobre a alteração do sabor? É, não dá pra fazer a gororoba todo dia. Não dá pra ter todos os ingredientes toda a semana. Então vai assim mesmo. E o sabor nem altera tanto assim, ufa.

Pode ser que meu próximo post seja a confissão do abandono do suco verde. Tomara que não. E digo já: tem tanta coisa ruim por aí que o meu suco salada até que nem é tão intragável assim.

May 20, 2014

Estamos de volta em novo endereço!

Fiquei pensando naquelas placas de estabelecimentos comerciais que mudam de endereço, para um número ali do lado.

Passada a raiva, alguns aprendizados novos em relação a blogs e afins, ajuda de amigos, aqui estamos de novo! Em novo endereço, mas bem parecido, né? Só ficou com um pouco mais de ziriguidum com a adição do .br.

Atualize por aí: www.cozinhandosempre.com.br