Jun 12, 2013

Festinha - Os fornecedores

Já escrevi que resolvi não fazer toda a comida da festinha do Dani, né? Mas é claro que eu compartilho todos os contatos! É tão difícil achar gente legal, em quem a gente pode confiar, que sabe fazer as coisas direitinho, que esses contatos são sempre bem-vindos.

Todos os salgados foram feitos pela Ju e Bel, que tocam a da Santinha Gastronomia. Elas também fizeram as comidinhas do meu chá de bebê, do chá de bebê de uma amiga, e vira e mexe fazem um almoço caprichado para comemorarmos alguma data especial em casa.

Fiz algumas plaquinhas para identificar as comidas porque acho meio difícil quando a gente tem que simplemente experimentar para descobrir o que tem em cada coisa. A apresentação das comidinhas é impecável, e o mini-lobster roll fez um super sucesso.



Outra fornecedora que virou amiga é a Lívia, da Yeah Brownies. Ela também fez um chá de bebê, e acabei encomendando os brownies no palito com ela em duas ocasiões. A personalização das plaquinhas é o máximo! E ela aguenta palpite, edita aqui, muda ali. E o que esse brownie é boooom...


Tem sempre também a fornecedora que é a amigadazamiga. A Alê, amiga da Letícia, foi uma delas. Nos conhecemos em um dia em que a Letícia, lá do Cozinha da Matilde, juntou as amigas do fogão em sua casa. Conversa vai, comida vem, descobri que ela tem a Nena Chocolates, faz muitos doces e uns brigadeiros maravilhosos. Nada de aromas, minha gente! Ela faz geléias caseiras para adicionar à mistura. I-MA-GI-NA o que é pegar um brigadeiro de morango e achar uma sementinha de morango de verdade ali dentro. Morri, voltei e comi mais um. Sorte do Dani que eu desisti de enrolar brigadeiros e garantiu um brigadeiro de chocolate belga!
  

E acha que acabou? Vixe, vai longe! Eu amo bem-casado. Ele bem que poderia ter outro nome, por que acho que pode ser devorado em tantas situações! Quando estava vendo lembrancinhas para a maternidade, pensei em fazer os tais bem-nascidos, e de todos que já provei, os feitos pela Fátima são os melhores.

Na época, tive uma dificuldade: eles não eram tão bem organizados como as vendedoras mais famosas de bem casados para receberem uma encomenda em cima da hora. Para casamentos, a data é fácil, mas já pensou se eu entrasse em trabalho de parto em um fim de semana? Não teria lembrancinhas, não conseguiria falar com eles, e acabei desistindo da ideia. Dessa vez fiz uma pequena encomenda e deu super certo. E confirmaram mais uma vez: são os melhores bem casados que eu já comi.


Como lembrancinha, enchi mini-baleiros com bala de coco. E lá fui eu atrás de uma bala de coco gostosa, que não fosse ressecada. Perguntei para as amigas comilonas de plantão e cheguei na bala de coco gelada da Claudia. A bala era como eu imaginava! E ainda encomendei também alguns algodões doces com elas!


Uma outra amigadazamiga são as meninas da Cookeria. Tem muitos produtos, mas meu favorito é o whoopie de castanha do pará recheado de doce de leite. Cookie daqueles macios, molinhos, sabe? De comer uns 5 sem nem pensar. Ficaram irresistíveis embrulhadinhos no celofane com fitinhas nas cores da festa.

 
E não é comida, mas é fornecedor, então entra pra listinha. A Pri, da Sweet and Sour, fez essas letras super fofas em mdf. Ela sugeriu a fonte, que acabou sendo usada também para a tag dos brownies e para outras coisas que espalhei pela festa. O Gustavo, da Gráfica Cipriano, me ajudou muito com a escolha do papel, impressão e corte dos cata-ventos.

Jun 10, 2013

Bolo fake

Se tem uma coisa que eu A-BO-MI-NO é pasta americana. Não adianta dizer que a gente descasca o bolo, tira a pasta e come o recheio. O gosto fica na massa, e o risco de comer um tiquinho se quer daquilo já me deixa de bode de comer o bolo todo.

Por isso, decidi fazer como foi feito no nosso casamento: um bolo fake, de mentira, para a mesa e para as fotos. E um gostoso, de verdade, fresquinho, na cozinha.

Pesquisei um monte atrás de ideias para esse tal bolo fake. Achei algumas opções interessantes. Uma delas seria fazer um bolo de isopor e cobrí-lo com pasta americana. Mas ainda assim, eu não sei mexer muito bem, ia ficar uma caca ou muito caro.

Eis que resolvi inventar um bolo de tecido. Fui à 25 de março, comprei isopor, fitas e flanela branca. Funcionou: a flanela deixa o bolo com uma carinha de fofinho! Abaixo tenho um passo a passo com fotos não muito boas, de iPhone mesmo, mas é o que tem.

Comprei 2 cilindros de isopor. Poderiam ser 3, mas achei que ia ficar grande demais. Cortei faixas de flanela que cobrissem toda a lateral do cilindro.

Em uma das ideias que vi, o tecido é preso ao isopor com alfinetes. Achei a solução meio estranha, vai que escapa! Então colei com cola quente, mas se você não tem a pistola... Compra, tá? Porque essa do alfinete não me convenceu, e cola quente é o máximo! É muito útil, e um ótimo investimento pra quem pretende fazer algumas coisas DIY (do it yourself) em casa.

Voltando, os fundos ficam mais ou menos como está na foto. Tentei deixar as pregas uniformes, e a lateral bem lisinha. Se sobrar muito tecido, corte para não ficar um monte de sobreposições e deixar o bolo torto.

Cortei um círculo de tecido para cobrir o topo do bolo, É preciso ter uma tesoura bem afiada para isso, ou muita paciência e cortar bem devagar. A solução de um bolo fake que achei nas pesquisas era colocar um enfeite bem grande em cima. Funciona, mas não era o meu caso, já que eu só queria colocar as bandeirinhas.

Colei uma fita na base de cada cilindro. Em muitos bolos decorados esse acabamento esconde a emenda/rebarba da pasta americana. Eu só achei que ficava simpático mesmo.

Aí vem a criatividade. Eu colei os cataventos em um estilo mais comportado, mas daria para colocar uma chuva deles, alguns tortos, espetados em cima... A criatividade vai longe! Achei muitas ideias interessantes escrevendo "pinwheel cake" no Google Images.

Para finalizar, cortei alguns cantos do papel de catavento, passei uma linha de costura e prendi em palitos de churrasco. Não foi muito fácil furar o bolo, com suas várias camadas de tecido, mas quebrei só uns 4 palitos.

As letras foram recortadas de etiquetas de papel, já que eu queria a mesma fonte de letrinhas que tinha usado para outras coisas. Mas dá pra achar letras-adesivo em lojas de scrapbook e papelarias.

Para a base do bolo, eu forrei um pedaço do isopor quadrado com um pedaço de tecido TNT. Este tecido era de um saco de presente que eu ganhei, deixei guardado, já pensando em alguma utilidade para a festinha. Poderia também ter forrado uma caixa de papelão. Aliás, o que mais fiz foi guardar coisas aleatórias que poderiam ter alguma utilidade: caixas de papelão (onde guardava tudo que ia ficando pronto), tecidos, fitas, potes, vidros...