Apr 15, 2013

Fazendo pão pro Dani

Muitos ingredientes já foram liberados pelo pediatra. Clara de ovo e peixe podem fazer parte da alimentação dele, posso oferecer um purê de batata ou creme de espinafre quando formos a um restaurante. Sabendo bem de tudo que pode ir em um purê ou creme - creme de leite, manteiga, requeijão - fiquei bem feliz!

Pensando nisso, e também lembrando que passei pela fase maluca da gripe em que ele não queria comer quase nada, eu comecei a fazer pães caseiros para o Dani.

A receita original é do “Cozinhando para os Amigos”, da Heloisa Bacellar, que a Alê Blanco postou no blog Comidinhas. Fiz algumas adaptações aqui em casa. Tirei o queijo parmesão, o sal e substitui parte do óleo por azeite. O primeiro pão ficou grande, e como quero que ele seja fresquinho, reduzi a receita para 1/3 do original quando fiz pela segunda vez.

Se você quiser ver a receita original, basta clicar no [link aqui]. O modo de preparo é o mesmo, mas abaixo segue a lista de ingredientes que fiz em dois dias diferentes. Acho que seria legal substituir metade da farinha de trigo por farinha integral, mas não tinha aqui em casa. Além de abobrinha e beterraba, também quero fazer de abóbora, mandioquinha, cenoura... Ficam pras próximas!

 Pão de abobrinha

3 xícaras de abobrinha ralada
3 xícaras de farinha de trigo
4 colheres de chá de fermento em pó
1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio
2/3 xícara de óleo + 1/3 xícara de azeite
4 ovos
manteiga para untar
farinha de trigo para polvilhar




Pão de beterraba

1 xícara de beterraba ralada
1 xícara de farinha de trigo
1/3 de xícara de farinha de aveia
1 colher de chá de fermento em pó
1/4 colher de chá de bicarbonato de sódio
1 xícara de azeite
2 ovos
manteiga para untar
farinha de trigo para polvilhar


Modo de fazer

Aqueça o forno a 180ºC, unte com manteiga e polvilhe com farinha uma forma média de bolo inglês. As minhas formas são anti-aderente (os corações são de silicone), então não precisei untá-las. Para o pão menor, usei 12 formas pequenas variadas, cada uma ficou com mais ou menos 30g de massa.

Em um recipiente, misture a abobrinha (ou beterraba), a farinha, o fermento e o bicarbonato.

Em outro recipiente, bata o óleo, azeite e os ovos com um garfo ou fouet até obter um creme esbranquiçado. Pode bater na batedeira também, mas eu prefiro sujar o mínimo de coisa possível. Junte a mistura de abobrinha (ou beterraba). Amasse com as mãos até a massa desgrudar do recipiente.

Coloque na forma e leve para assar. A receita com 3 xícaras de farinha ficou assando por 50 minutos. A receita reduzida (de beterraba) assou por 20 minutos. É como bolo, fica pronto quando o pão está crescido, dourado e, enfiando um palito no centro, ele sai limpo. Espere esfriar um pouco e desenforme. Eu guardo o pão na geladeira e dou uma requentada na hora no forno elétrico.

Apr 14, 2013

Além das Papinhas

Sumi. Foram dias intensos, dias de gripe, de febrão batendo os 39ºC, de sinusite - da mamãe, porque o pitico melhorou rápido e eu fiquei doente por 2 semanas.

Nesse tempo, uma amiga minha, que tem uma filha um pouco mais nova que o Dani, me pediu ajuda com algumas papinhas. Passei as receitas, ela leu todos os posts do blog, e ainda assim alguma coisa deu errado! Sua primeira papinha, que foi a [vegeba] que postei aqui, ficou super amarga. A pequena, que devora tudo que vê pela frente, torceu o nariz. Mandei um email para ela com a progressão das papinhas que fiz para o Dani (viva as anotações do caderninho).

E com essas da gripe, a gente tenta de tudo. Só mãe entende o desespero de ver seu filho borocochô, sabendo que o que ele mais precisa é se recuperar, mas não querendo comer nadica. A gente procura, pergunta, lê e põe todos os palpites em prática. Algumas coisas deram certo, outras não.

Como eu havia dito, o Dani está na transição das papinhas para as comidas de gente grande. Sério, é uma fase meio chatinha, porque eu cozinho tudo separado. Alguns ingredientes aproveito para as nossas refeições daqui de casa. Mas ainda assim, dia sim, dia não, estou lá na cozinha às 8am com 4 ou 5 panelas no fogo cozinhando tudo. Sim, isso é mala mesmo pra quem ama cozinhar. Mas faz parte.

Aqui segue abaixo 4 fotos de como as comidas dele estavam nesses dias. Não são as fotos mais bonitas, mas dá para se ter uma ideia de como é.


Os pedações são sempre amassados na hora com garfo, com excessão da foto em que há pedacicos de cenoura e de pão cortados. Eu sempre tentei oferecer diversas formas e texturas em uma mesma refeição. Seguindo o conselho de uma amiga, sempre oferecia carne e frango bem desfiados, moídos e molhados em algo, no purê ou no caldinho de feijão. Alguns pratos não tem nem carne nem frango; isso porque eles foram cozidos com alguns dos outros ingredientes.

Algumas coisas que percebi: ele adora comer cenoura, beterraba ou abobrinha que foram raladas e cozidas. Mas ele tem que comer sozinho! Deixo na bandeja do cadeirão e ele vai comendo aos poucos, se distraindo. Ao mesmo tempo, entre uma cenoura voadora e outra, dou uma colherada de comida para ele.

E aí vem a gripe, e nada vai, nada funciona. Essas duas fotos foram tiradas no mesmo dia. A primeira, que era o almoço, foi oferecida como se deve, com tudo separado e etc. Aí ele não come, você desiste e faz do jeito que acha que ele vai comer um pouco que seja. Todos os ingredientes (espinafre, feijão, mandioca e abobrinha) que você vê no prato à esquerda estão na meleca verde. Só não bati o pão e fiz um ovo mexido - que ele amou.


E é assim mesmo. Tem dias que dá tudo certo e ele come um monte, tudo pedaçudo, como o protocolo manda. E temos os dog days, em que ele não vai comer. E não adianta forçar, entuchar. A gente fica triste, se desespera, chora. Sim, porque só queremos ver nossos piticos comerem, crescerem saudáveis, e sempre nos disseram que pra isso eles precisam comer. E uma hora a boca trancada passa. E tudo fica bem.