Mar 23, 2012

O melhor mil folhas do mundo

Fico constantemente em busca de algum mil folhas que tire o do Jacques Genin do pódio. Era um dia terrível, frio, chuvoso em Paris. Me perdi horrores, atravessei poças de água, o guarda-chuva virou do contrário e me deixou com aquela cara de pastel do dia seguinte molhado. Metrô fedido, ruas meio vazias... Enfim, imaginou o cenário, né?

Entrei na loja chiquetésima, que parece uma joalheria, com aquela cara de pastel molhado. Estava me sentindo a mais mal vestida - afinal, eu já estava em Paris, onde eu, por mais que me esforçasse, sempre ficava com a impressão de que a linda e esbelta francesa ao meu lado se arrumou em 5 minutos e me deixou com o título de patinho feio.

O mil folhas me acolheu, acompanhado de um cházinho quente recomendado pelo garçon. Parecia que dava para sentir o sabor de cada pontinho de baunilha dele, e a massa - ah, eu e minha tara pelas massas! - era perfeita. Nem muito, nem pouco, nem fina, nem murcha, em uma proporção perfeita de quantidade para o recheio a cada garfada.


Foi na companhia deste mil folhas que também reencontrei uma amiga que não via há um bom tempo, e passamos horas conversando, tomando chá e colocando a conversa em dia. Contribuiu para minha boa lembrança dele? Acho que sim, mas a bomba de chocolate dela não tinha nada de tão memorável, então acho que ele especial mesmo.

Nos dias de desespero, o mil folhas da Boulangerie do Sofitel é minha escolha, lembrando que eu não curto mil folhas nem com chantilly nem com sabores. Mas nenhum outro mil folhas, mille foglie ou mille feuille me deixou tão nas nuvens quanto aquele do JG. Alguém aí tem alguma sugestão para o próximo destino da busca pelo mil folhas perfeito?

No comments: