Mar 30, 2011

Quinta da Canta

[Quinta da Canta] é um restaurante que fica na Serra da Cantareira. Perfeito para acordar meio tarde no fim de semana, pegar o carro, dirigir por uma estradinha linda que deixa qualquer GPS maluquinho e fugir para um cantinho onde celular não pega.

Olha que cozinha FOFA com fogão a lenha... e o cheirinho de madeira queimada!

Dá para passar horas ou o dia inteiro por lá, e Sérgio Lima e sua esposa Teresa fazem com que você se sinta como se em casa, parecem amigos de longa data. Comer devagar, ler um livro, ouvir os passarinhos, procurar os esquilos e passear pela horta de ervas... não preciso de mais nada! E olha a mesinha em que eu sentei na varanda.


E o que comer? Bom, há dois [menus], um mais enxuto e o outro bem completo. Sinceramente acho o completo mais legal, uma evolução dos pratos deliciosa. Mas olha que coisa feia: comi tanto que deveria ter voltado pra São Paulo a pé! Sérgio fez um cardápio pra lá de especial, com direito a uma mescla do menu de verão e novidades que virão em abril, mais quentinhas e com cara de inverno.

Cestinha de pães caseiros de cará e cenoura acompanhada por manteiga com gengibre, tomacella e delicella
Camarão ao molho de vinho branco e curry da Turquia e bolinhos de haddock
Virado de banana nanica com carne seca e crispe de couve, receita da avó do Sérgio
Nhoque de batata doce com ragu de cordeiro
Gelado português com frutas vermelhas

O Sérgio contou que lá vai gente de tudo quanto é tipo: casais de namorados, famílias comemorando aniversários, dia das mães, amigas fazendo o chá de panela... Me deixou pensando quando volto lá pra comer o viradinho de banana de novo! Quem topa?

Ah! O Quinta só abre aos finais de semana, somente com reserva.
(f) (11) 4485 2185 e (11) 3331 2882
E imprima as [instruções de como chegar no site]!

Mar 19, 2011

Zeppoles de São José

Hoje foi dia de ficar em casa, na cozinha. Amanhã tenho um almoço em casa, e fiz um bacalhau espiritual, um pudim e deixei coisinhas prontas para uma salada caprichada. Fora isso, muita tv, própolis com mel e repouso pra ver se curo essa garganta.

E que DELÍCIA receber um mimo no fim da tarde, bem naquela hora que bate a fome: a Ale Blanco me deu uma caixa maravilhosa de zeppoles. Ela me contou que zeppole é um doce típico da comemoração do dia de de São José, e esses vêm de uma padaria em frente à Paroquia de São José, no Ipiranga.


Como descrever... É uma rosquinha que lembra patê a choux, aquela massa da bomba de chocolate. Mas muito, muito mais macia. Com um recheio de creme de confeiteiro, cobertura de mel e castanha de caju picada. Tô babando só de escrever essa descrição! Já comi uma inteirinha, e segurando a vontade pra não comer mais duas!

Bom fim de semana

Meu sábado começou com esse texto delicioso que recebi de uma amiga!

Quando comecei, pensava que escrever sobre comida seria sopa no mel, mamão com açúcar. Só que depois de um certo tempo dá crepe, você percebe que comeu gato por lebre e acaba ficando com uma batata quente nas mãos. Como rapadura é doce mas não é mole, nem sempre você tem idéias e pra descascar esse abacaxi só metendo a mão na massa. E não adianta chorar as pitangas ou, simplesmente, mandar tudo as favas. 

Já que é pelo estômago que se conquista o leitor, o negócio é ir comendo o mingau pelas beiradas, cozinhando em banho-maria, porque é de grão em grão que a galinha enche o papo. 

Contudo é preciso tomar cuidado para não azedar, passar do ponto, encher lingüiça demais. Além disso, deve-se ter consciência de que é necessário comer o pão que o diabo amassou para vender o seu peixe. Afinal não se faz uma boa omelete sem antes quebrar os ovos. 

Há quem pense que escrever é como tirar doce da boca de criança e vai com muita sede ao pote. Mas como o apressado come cru, essa gente acaba falando muita abobrinha, são escritores de meia tigela, trocam alhos por bugalhos e confundem Carolina de Sá Leitão com caçarolinha de assar leitão. 

Há também aqueles que são arroz de festa, com a faca e o queijo nas mãos, eles se perdem em devaneios (piram na batatinha, viajam na maionese...etc.). Achando que beleza não põe mesa, pisam no tomate, enfiam o pé na jaca, e no fim quem paga o pato é o leitor que sai com cara de quem comeu e não gostou. 

O importante é não cuspir no prato em que se come, pois quem lê não é tudo farinha do mesmo saco. Diversificar é a melhor receita para engrossar o caldo e oferecer um texto de se comer com os olhos, literalmente. 

Por outro lado se você tiver os olhos maiores que a barriga o negócio desanda e vira um verdadeiro angu de caroço. Aí, não adianta chorar sobre o leite derramado porque ninguém vai colocar uma azeitona na sua empadinha não. O pepino é só seu, e o máximo que você vai ganhar é uma banana, afinal pimenta nos olhos dos outros é refresco.  
Mas - dando uma canja - as moças apetitosas são sempre um xuxu, todavia quem não trabalha não come, e ficar por cima da carne-seca, labendo os beiços, só faz ficar chorando de barriga cheia.

A carne é fraca, eu sei. Às vezes dá vontade de largar tudo e ir plantar batatas. Mas quem não arrisca não petisca, e depois quando se junta a fome com a vontade de comer as coisas mudam da água pro vinho. 

Se embananar, de vez em quando, é normal, o importante é não desistir mesmo quando o caldo entornar. Puxe a brasa pra sua sardinha que no frigir dos ovos a conversa chega na cozinha e fica de se comer rezando. Daí, com água na boca, é só saborear, porque o que não mata engorda.

Mar 10, 2011

Cupcake de Chocolate do Magnolia

Não tem nada melhor do que cozinhar para um monte de gente comer. Não por obrigação, mas just for fun é ótimo. E aí veio um Carnaval mega chuvoso em que passamos no interior com outras 14 pessoas. Quer oportunidade melhor para ter cobaias e testar um monte de receitas?

E eu vou publicar as que deram certo aqui no blog. A primeira é fruto de uma saudade imensa dos cupcakes do Magnolia Bakery. Tem uma coisinha chata: as forminhas de cupcake. Eu não achei no Pão de Açúcar nem no Bon Marche. Me falaram que em lojas mais especializadas dá pra encontrar, mas eu usei umas que vieram com a mudança. Então deixem comentários de onde vocês compram as suas, tá?!


Massa do Cupcake de Chocolate do Magnolia

2 xícaras de farinha de trigo
1 xícara de chocolate em pó
1½ colher de chá de fermento em pó
½ colher de sal
3/4 de xícara de manteiga sem sal (equivalente a 3/4 do tablete de 200g)
1½ xícara de açúcar mascavo (aperte o açúcar na xícara bem firme)
½ xícara de açúcar
3 ovos grandes, temperatura ambiente
1½ xícara de buttermilk (**)
2 colheres de chá de extrato de baunilha

Aqueça o forno a 180ºC.
Misture a farinha, chocolate em pó, fermento e sal.
Em outro recipiente, coloque a manteiga e bata na batedeira até virar um creme. Adicione os açúcares e bata por 3 minutos. Adicione os ovos um a um.
Incorpore a mistura seca à mistura da batedeira aos poucos, alternando com o buttermilk e a baunilha.
Bata o suficiente para incorporar, mas não bata demais para a massa não ficar dura.
Coloque a massa em formas de cupcake com as forminhas dentro até 3/4 do nível da forminha.
Asse por 15-20 minutos. O tempo de forno depende do tamanho das forminhas, então use a técnica do palito de madeira.
Espere os cupcakes esfriarem para colocar a cobertura.

(**) O que é Buttermilk? Lembra meio iogurte, meio coisa talhada, mas basicamente é leite com ácido, seja de fermentação ou adicionado diretamente. Achei na internet um jeito de substituí-lo que funcionou super bem:

Para cada 250mL de leite integral, adicione 1 colher de sopa de suco de limão. Deixe descansar por 10 minutos. O leite ficará talhado e tem um efeito semelhante ao buttermilk.

Cobertura (Cream Cheese Icing)

450g de cream cheese
6 colheres de sopa de manteiga sem sal
1½ colher de chá de extrato de baunilha
5 xícaras de açúcar de confeiteiro

Bata o cream cheese e a manteiga em uma batedeira até ficar fofo.
Adicione o extrato de baunilha.
Adicione o açúcar gradualmente, 1 xícara por vez, e bata até ficar bem cremoso.
Coloque em um saco de confeiteiro e leve à geladeira por 2-3 horas.

A receita foi traduzida do livro The Complete Magnolia Bakery Cookbook de Allysa Torey e Jennifer Appel.